Logística empresarial: o que você precisa saber

A terminologia logística empresarial tem por meta definir todos os processos pertencentes à cadeia logística de uma organização. A logística ultrapassa o conceito simples de transporte para adentrar em um denso conjunto de boas práticas e estratégias que objetivam otimizar a gestão de uma empresa ao ponto de criar as condições necessárias a oferecer ao consumidor excelência em seus produtos ao mesmo tempo que assume a liderança do mercado em que atua.

No post de hoje, faremos uma análise desses conceitos que tiveram seu debate mais intenso por meio do estudo da organização de suprimentos e distribuição em operações militares de exércitos, onde havia uma necessidade peculiar de organização e assertividade para que pudessem atingir seus objetivos e conquistar vitórias.

Quando tratamos dessas práticas aplicadas à logística empresarial a função principal é gerir a contratação de fornecedores, escolha de modais de transporte, métodos de produção e distribuição, bem como intenso treinamento a fim de unificar a ideologia e ações dos recursos humanos envolvidos.

Deseja aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto? Então, continue a leitura!

Quais os preceitos fundamentais da logística empresarial

O sistema capitalista adotado por praticamente todos os países do mundo cria uma integração global e, como uma enorme cadeia, redistribui recursos naturais e tecnologias inerentes a cada um dos países. Essa interação e dependência é o que chamamos de globalização e é responsável por acirrar a competitividade entre as empresas, criando um ambiente propício à inovação, pois, para se manter no mercado, uma empresa precisa oferecer diferenciais de valor aos seus consumidores, caso contrário, será facilmente absorvida pela sua concorrência.

O desenvolvimento da estratégia logística tem enfoque em quatro etapas distintas: suprimento, estocagem, produção e distribuição/transporte. A sua finalidade é desenvolver métodos e práticas que tornem cada uma dessas etapas o mais eficiente possível. O resultado esperado com a adoção de práticas assertivas na cadeia de suprimentos pode ser medido através dos 8R’s (8 Right’s – Certos):

  • Right Material (materiais certos)

  • Right Quantity (na quantidade certa)

  • Right Quality (na qualidade certa)

  • Right Place (no lugar certo)

  • Right Time (no tempo certo)

  • Right Method (com o método certo)

  • Right Cost (no custo certo)

  • Right Impression (com a impressão certa)

Ao conseguir manter um controle estratégico sobre cada um desses itens de valor, a empresa obtém o que se conhece como excelência de mercado. Não é algo simples, pelo contrário, é bastante complexo e demanda muita atenção e, provavelmente, só é conquistada após inúmeros testes até que se possa estabelecer as práticas mais adequadas.

Como otimizar os processos

A melhoria no desempenho dos processos citados necessita de uma constante revolução e adaptação aos padrões de consumo do seu público-alvo, que mudam com certa frequência, e para os quais você precisa estar preparado para suprir.

Para compreender como atingir esses resultados, focaremos, a seguir, em boas práticas de gestão na aquisição de suprimentos, estocagem, produção e distribuição/transporte. A integração dessas etapas de forma harmônica e eficaz é o elo principal para o seu funcionamento como um todo e precisa ser realizada de forma prioritária. Uma depende da outra, ou seja, se uma para, as outras também param.

Suprimentos

A depender do tipo de produto que sua empresa comercializa, os suprimentos podem ser itens manufaturados ou matéria-prima a ser transformada em produto. É na etapa de escolha de fornecedores que se inicia a cadeia de suprimentos e o fator determinante de todos os demais processos.

Para realizar boas escolhas, você deve levar em conta a capacidade dos fornecedores em atender a sua demanda e as particularidades geográficas do mesmo. O ideal é que ele esteja próximo à sua base de operações a fim de conseguir entregar os pedidos com maior agilidade e que não ocorram gargalos caso a frequência de demanda se amplie.

A fórmula, nesse caso, é escolher aquele que reúna capacidade produtiva com localização geográfica e ofereça o menor custo. Um exemplo para análise: sua empresa fica no Nordeste e seu fornecedor de matéria prima está baseado no Sul. Se a sua demanda aumentar significativamente, você terá dificuldade de atender os seus clientes em decorrência da demora no transporte.

Estocagem

A sua capacidade de prever a demanda do mercado está diretamente ligada ao que mantém em estoque e essa acuracidade é um dos maiores diferenciais competitivos que pode oferecer, visto que há um custo para isso. Ao fazer um controle de estoque equilibrado, você tem a certeza de conseguir manter o custo do seu produto estável, bem como se torna menos dependente dos fornecedores quando as demandas projetadas forem solicitadas.

É preciso ter o máximo do necessário — nem a mais nem a menos. Além da sua capacidade de armazenamento, os principais limitadores são o controle de fluxos, que deve ser feito pela utilização de sistemas próprios que otimizem o seu planejamento, bem como métodos eficazes de conservação para que não haja prejuízos.

Contrate os serviços de empresas especializadas que possam oferecer as informações de que precisa. Tais assessorias contam com profissionais experientes e privam pela eficácia de seus relatórios, tendo amplo conhecimento de mercado. Esses dados serão essenciais para guiar seus investimentos e garantir que tenham o retorno esperado.

Produção

Produção e comercialização são setores que necessitam de reciprocidade. Nesse aspecto, a produção massiva só deve ser realizada frente a uma demanda já existente, com manutenção mínima de excessos, de modo a não ter que baratear seus produtos ou ter que devolvê-los ao estoque.

O controle possibilitado pela correta análise dos relatórios de venda é uma ferramenta indispensável nesse aspecto e sua utilização constante crucial para otimizar os lucros em cima de tudo que é produzido.

Ademais, uma ampliação de demanda pode influenciar diretamente na satisfação dos seus colaboradores, de modo que eles precisam estar cientes das suas funções, receber o treinamento necessário e acompanhamento para que não se tornem insatisfeitos e prejudiquem a produção.

Distribuição e transporte

É preciso determinar a melhor forma de escoamento da sua produção, pois más escolhas nessa etapa podem tornar em vão todo o esforço desempenhado nas fases anteriores. Se a sua empresa tem foco para uma determinada região, é interessante possuir parceiros estratégicos que possam centralizar a distribuição dos itens ou mesmo criar centros próprios, que reduzam os custos de transporte e tornem o processo mais eficaz.

Ter as rédeas da logística de distribuição e transporte é saber quando vale a pena pagar mais caro por um frete aéreo, por exemplo, quando houver uma necessidade urgente do seu produto em uma região mais distante, para colher frutos posteriormente com o aumento da demanda para essa localidade que possa ser atendida por meios de transporte mais baratos através de um bom planejamento.

Conclusão

Em todas as etapas citadas, a boa comunicação é um ponto essencial para que exista a integração necessária e que as engrenagens funcionem com a eficácia que se espera. Ao realizar um planejamento de logística empresarial que observe tais critérios, você terá condições de mensurar os custos, prazos, volume de vendas, possibilitando ajustes e previsão de demandas com mais clareza. Ou seja, a sua empresa terá condições de oferecer o que o seu consumidor precisa no tempo, lugar, impressão de utilidade e ao valor que ele está disposto a pagar.

E então, o que achou do artigo? Deixe seu comentário!

Conheça uma opção prática e dinâmica que irá revolucionar a sua logística empresarial! Acesse www.softruck.com.br ou ligue para (031) 3234-2800.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *